O manual, o fazer, o único – Conheça a Orangotango

ago 29, 2017 by

Paula Bertone é estilista e mãe da Nina e do Noel. Trabalhou em várias marcas, ateliers, fábricas e fez desfiles. Com essa bagagem aprendeu muito sobre estilo, coleções, matérias prima e um pouco do mercado de moda.

A Paula mora em Paraty e foi lá que se especializou em sua grande paixão: o crochê.  Com hábitos simples e sem planos grandiosos para a sua marca no futuro, ela nos ensina que pensar no presente, focar na verdadeira paixão e fazer um trabalho bem feito, é possível alcançar o sucesso. Aliás, sempre devemos nos perguntar o que é sucesso. Para a Paula, isso parece bem definido. Dá gosto ver suas imagens nas redes em meio à natureza e na presença dos filhos. Ela nem sabe, mas me fez refletir sobre muitas coisas. Desde já, sou grata por tê-la no blog.

 

Surge o interesse

Diferentemente de mães que largam o trabalho para cuidar dos filhos, quando tive a Nina, resolvi fazer da experiência de ser mãe um aprimoramento da minha profissão. Sempre trabalhei como criadora de moda. E quando a Nina nasceu, me vi como uma consumidora, atrás de roupas e acessórios. Descobri como era difícil me identificar com o que o mercado oferecia.

Comecei a me interessar por pesquisas e experimentos deste mundo infantil. Estas experiências me renderam boas surpresas.

Não gosta de nada? Faça você mesma, eu dizia pra mim mesma!

O universo da moda infantil é mesmo um mundo à parte. Eu sempre tive uma dificuldade enorme em achar algo de que realmente gostasse.

Dezembro de 2007 – hora de pensar no quarto da Nina, que chegaria em março de 2008. Para mim foi uma dificuldade. Não gostava de nada.

Resolvi montar eu mesma todo o quarto dela. Minha mãe sempre costurou muito bem e pedi uma ajuda a ela. Comprei os tecidos, escolhi as estampas, resolvi como queria cada item. Jogos de lençóis de berço, edredom, almofada, protetor, trocador, etc… – o kit básico de quarto. Minha mãe costurou.

Ficou lindo. Todas as peças tinham uma cor vibrante e combinações de estampas bem diferentes daquelas “corretas” que encontramos por aí. Acabou fazendo o maior sucesso. Os amigos que vieram visitar a Nina (recém- nascida), acabavam elogiando e perguntando onde tínhamos comprado.

Nasceu a Orangotango

Quase dez anos depois, tenho hoje mais um filho – o Noel, mudei de cidade e de vida e a Orangotango ganhou forma. 

Me especializei no que sempre foi muito natural para meus olhos e minha paixão: o crochê.

Venho de uma família de mulheres crocheteiras de mão cheia. Minha avó, tias avós, minha mãe então, nem se fala. E estas mulheres nunca deram muito valor para o que sabiam…

Juntei o crochê (que sempre amei) com meu olhar de estilo. Nasceram mimos, bonecos, móbiles, almofadas – onde o manual, o fazer, o único, exclusivo e edições limitadas – são as estrelas!

Aprendi sozinha e empreender. Foi uma descoberta de “formiguinha” e ainda é.

Como trabalhei muito em fábricas e grandes marcas, o formato de empresa grande não faz minha cabeça. Penso sempre em me manter pequena, estável, com qualidade e novidades.

Mudar de cidade e mudar de modo de vida me dá energia para seguir empreendendo. Descobri que posso ter qualidade de vida e ainda trabalhar e estar perto dos meus filhos. Não é uma equação fácil, mas é possível!

Rotina sim!

Eu amo a rotina. Descobri ao longo dos anos que rotina me faz bem. Me sinto perdida sem ela. Então tudo funciona bem na minha cabeça. A rotina de casa é bem tranquila mas simples.

Meu atelier atualmente fica em casa, aproveito quando as crianças estão na escola para cuidar de mim. Adoro esportes e os pratico diariamente. A tarde, me dedico ao atelier, rotina das minhas peças, desde a confecção, montagens das mini coleções, até a venda final.

Home office

Home office é disciplina. É preciso um bocado dela para não enlouquecer. As vezes complica, mas faz parte da vida. Nem todos os dias são iguais. Também não dá muito para ficar disperso, foco é preciso!

Um conselho

Para empreender é preciso conhecer do negócio que se vai trabalhar. O mundo de hoje, acredito que pede pessoas versáteis, prontas para adaptações. Aprendi nestes tempos que não há espaço para verdades definitivas. Que a vida é cheia de movimentos e precisamos movimentar também a cada segundo.

 

Um sonho

Sonho em continuar criando peças. Nada de sonhos muito distantes. Sonho em sempre trazer referências legais, inspirações frescas.

E quando pergunto sobre uma frase inspiradora:

Sinceramente, nunca pensei em uma frase empreendedora. Não me ligo nestas coisas!

E não é para admirar ainda mais?

Imagens: Orangotango

 

Acompanhe a Orangotango:

Facebook: Orangotango

Instagram: @orangotangoloja

Site: www.orangotangoloja.com.br

 

1 Comment

  1. Rosimeire

    Amei Paula
    Bjão
    Rosi – Bauru

Deixe um comentário!